Nostalgia de viver

“Eu não sei mais quem eu sou, não me reconheço, mas não quero voltar a ser a mesma de antes. Dizia ser um nada como se soubesse o significado da palavra, ou talvez ele até tenha tantos significados que não conseguimos classificar em apenas uma ocasião, eu fui um nada e sou um nada, mas nas minhas comparações só tenho piorado. Quero que alguém me salve logo desse meu universo que é só meu, porém não tem como alguém me levar de algo que eu até goste… Acho que na verdade eu não queira parar de ser fria e chata todos os momentos. E sempre arrumamos uma desculpa para as coisas que fazemos e como todos eu não seria diferente e justifico minhas atitudes por coisas que outros fizeram pra me livrar da sobrecarga.

Uma vez eu disse para uma amiga que não havia problemas em estarmos no fundo do poço, pois estávamos juntas e do fundo do poço só tem como subir… Acho que é assim que eu me sinto hoje, no fundo do poço, mas sozinha e com uma uma tonelada de ferro amarrada nos meus pés.

Gostava do meu antigo eu, de como eu via as coisas e o mundo, de como tudo era inofensivo. Acho que sinto falta da época que todo fim de tarde ia pra rua com os amigos brincar, ou de chegar em casa toda suja de areia. Dizem que é apenas uma fase, mas essa fase já tem demorado bastante tempo pra passar.

Não seria mentira dizer que perdi a confiança em quase todos que diziam ser meus amigos para o que der e vier, e com todos os outros, sempre um pé atrás. Não sou de fazer promessas, mas se eu fizer pode ter certeza que eu irei cumpri-lá,  nunca prometa algo que você sabe ou até mesmo ache que não vá cumprir, não faz lógica… Algumas pessoas não tem noção das promessas que fazem e acabam fazendo o contrário do que falam.

Eles não aguentam ouvir a verdade, por isso mentem, por isso me abominam. Não vou parar de ser como sou por algumas pessoas não terem gostado… Se eu estou satisfeita como eu sou e como estou, por mim tanto faz tua opinião. Irão te perguntar se está bem, sem nem ligar para a resposta, mas um dia a gente acorda. Gosto de ver como no final, tudo se encaixa corretamente e uma pista, realmente te leva à outra.

Dizem também que é normal as pessoas mudarem com o tempo, mas eu imaginava que mudássemos para melhor e não que virássemos alguma “ameba”. Creio que a maioria das pessoas se esforcem para algum dia ser alguém na vida, mas, já se perguntaram o real motivo de para que e por que querem ser “alguém na vida”? Se nada somos e nada seremos, qual o real motivo afinal?  Sinto que fugimos dessa realidade, Mas… A morte é inevitável.  Não quero dizer que não devemos nos esforçar para conseguirmos ou/e algo que queremos, digo no sentido de parar pra refletir se você está satisfeito com o que tu é e tem.

Diante desses milhões de sentimentos, eu nem sei mais o que eu sinto!  Poderia dizer apenas que estou triste, mas não é só isso, é uma mistura de coisas que eu nem sei descrever… Talvez eu seja a única atrás desses por quês idiota da vida. Não consigo que conformar tão naturalmente com algo que na minha concepção esteja errado.

Tanta coisa pra fazer, tanta coisa para viver, tantos lugares para conhecer, tantos amigos para fazer… E eu nessa minha indecisão de se vou ou fico por medo de realmente viver.”

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s