Quem é você quando ninguém está vendo?!

“Quem me vê sempre pensa que eu sou a pessoa mais feliz, sempre estou sorrindo, sempre estou feliz, ou como costumam dizer ‘estou sempre sorrindo, e quem me ver vai ser sempre assim’.
Eu não me importo e nem vejo problema em me obrigar ser feliz, pois com isso acabamos realmente sendo. Por mais que aconteça coisas ruins, sempre ser feliz, pois a felicidade e a tristeza são momentâneas, e tudo que é momentâneo logo passa.
Se eu dissesse que eu estou feliz, estaria mentindo, mas também de dissesse que estava triste, estaria mentindo ainda mais. Eu apenas não sei definir como eu estou… Não sei se estou feliz, nem sei se estou triste.
Acho que sou bipolar, não
tenho sentimentos concretos… Eu sempre estou dividida entre dois ou mais sentimentos que acaba me deixando triste.
Não quero mais falar sobre a solidão que eu sempre sinto, não quero mais sentir ela. Não sei como arranca-lá, nem como preenche-lá. Queria saber o que fazer com esse sentimento de insegurança e solidão.
Nunca sei o que fazer, nem sei o que não fazer. Sempre erro, sempre faço as coisas mais erradas possíveis. Eu queria saber como desfazer meus problemas igual sei como desfazer o problema de todos. É bem mais fácil lidar com o problema dos outros do que o nosso mesmo, né?! Estranho isso…”

Toda mulher é um pouco bi. Se não for bissexual ou bipolar, é biscate.”
Tati Bernardi

Beijinhos, espero que gostem do textinho, e falem nos comentários algum assunto ou algo que queiram que eu fale sobre! *-*

“Solidão, ou não ?”

São tantas as coisas que eu tenho pra contar! Eu sinto falta de alguém para desabafar. Mas cadê esse alguém? Eu costumava ter amigos, e colegas, porém agora parece ser tudo tão vazio. Sabe quando você está rodeado de pessoas e mesmo assim,  aqui dento de nós estamos sozinhos, com ninguém!

É, isso mesmo. Ninguém para me ajudar, ninguém para me escutar, nunca ninguém, ou sempre alguém ? Eu sempre tão… Tão confusa. Mas antes, qual seria o diagnostico se não solidão?! Sim, provavelmente isso seria solidão. Pode até ser por ninguém se importar, mas não sei ao certo… Me sinto como a pessoa mais errada, mas oque de errado eu já fiz se nunca me coloquei em risco?! Não digo que seria impossível, mas sim, improvável.

Eu nunca fui de me abrir com as pessoas, nunca gostei de contar as minhas coisas. Mas como costumamos dizer, sempre tive alguém que pude confiar. Mas, como as coisas tem mudado pra mim, né? Quem diria… Eu ainda tenho com quem conversar, mas, escrever oque eu sinto me acalma, mesmo sabendo que ninguém irá ler. É um alivio imenso, pra ser sincera, me sinto melhor desabafando com cada palavra que eu escrevo, desse jeito eu passo meus sentimentos para o papel, e eles já não mais me pertencem, e agora passam a não ser mais minhas propriedades.

Atenção, oque eu quero deixar bem claro aqui é que eu tenho muitos amigos e colegas, o motivo dessa sensação com toda certeza não é a falta de pessoas, e sim a falta de alguém que você goste de conversar e desabafar e que no dia seguinte não te taque tudo na cara. É, bem difícil de achar alguém assim… E alguma dessas vezes, eu não quero falar, quero apenas sentir esse momento e uma pessoa do meu lado que me dê um abraço gostoso e com a segurança de nunca estar só, ficar aliviada.

Não me importo, e nem reclamo por ser assim, eu até gosto. Não vejo problemas em preferir desabafar em papéis, é incrível a sensação de todas aquelas palavras sendo formadas, é indescritível como é bom esse meu jeitinho tão meu de desabafar. Agora vou contar um segredo, eu faço isso tudo, porque eu nunca aprendi realmente como que se desabafa. Mas, fazemos isso para nos sentir melhor, e oque me faz melhor é apenas fazer oque eu gosto, e oque eu gosto? Ah… Eu gosto de como é linda a junção de cada palavra. Sei que pode parar meio estranho para quem vê de fora, mas pra mim… É a melhor coisa, é um universo só meu, onde eu posso fazer do mundo, oque eu quiser.

                                                       “Life isn’t about finding yourself. Life’s about creating yourself.”

George Bernard Shaw

Estou a busca do meu eu. Espero que vocês gostem do texto, afinal… Essa realmente é a única coisa que eu gosto de fazer! Deixem nos comentários a opinião de vocês e acho que é isso ai! Beeeijo amores… *-*

“Toda patricinha se amarra num vagabundo!”

  Talvez essa seja apenas mais uma daquelas histórias clichês que sempre escutamos, aquelas típicas coisas que você escuta dos pais, avós e as vezes até mesmo das primas sobre “aqueles vagabundos” que a maioria das meninas acabam conhecendo e gostando…

    Um dia minha prima me contou sobre ela e o namorado dela que já fazia alguns anos, disse que no começo a mãe dela não aceitava porque ele era “daqueles vagabundos”, sinceramente eu não intendia muito ainda sobre isso, então eu apenas escutei até o fim e ri pra ela dizendo que eu nunca tinha me apaixonado.

    Anos passaram e eu cresci, conheci muitos garotos, mas tem um deles que foi oque eu mais gostei(ou gosto, sei lá..), e pra minha sorte era DAQUELES, ele não era aquilo tudo que o mundo falava dele. Ele era carinhoso, educado, inteligente e além do mais se preocupava comigo e fazia de tudo pra me ver sorrir, tudo bem que ele também sempre dizia “Não sou o namorado que um pai quer para a filha.”, mas o que ele tem de tão errado que eu e todas as outras pessoas também não tenham?! E eu que não sabia onde estava me metendo, insisti… Eu de família boa e classe média, ele com aquele jeitão de menino que ao mesmo tempo me transmitia paz, não éramos nada iguais.

   Mas fazer oque se eu só pensava nele? Quanto mais coisas eu aprendia sobre ele,mais me interessava. Eu gostava de ficar com ele e do jeito dele, ele me fazia rir e eu também sabia que poderia sempre conversar com ele e ele me apoiaria, isso me fazia ainda melhor. Eu tinha medo, muito medo de acontecer alguma coisa, ainda mesmo quando ele dizia que não queria me iludir e que gostava muito de mim, por isso não queria me magoar.

     Eu estava gostando, e ele também, então pra que parar uma coisa que estava sendo boa?! Por isso continuamos ficando juntos, e escondido. Eu pude ver que ele realmente não era aquele menino ruim que todos pensavam que era, ele era um príncipe, não aqueles de filme… Mas o meu príncipe! Aprendi a ser mais verdadeira, a acreditar nas pessoas e além dele ter me feito crescer e ver a vida com outros olhos, me ensinou a amar! 

Imagem

 

Texto com assunto clichê novamente porque sim… Beijinhos, espero que vocês gostem! Alguma dúvida ou opinião deixem nos comentários. *-*

“[…] Você admira as estrelas, eu escuto a natureza
Você feliz de nascença, eu numa eterna tristeza
Eu tento entender o mundo e você admira a beleza
Você vem de meu amor e eu vou de minha princesa […]”    

“Sobre estar só…”

Digo, e repito : “Muitos irão passar por tua vida, mas só alguns ficarão por um longo tempo” . E continua essas transições de pessoas entrando e saindo da minha vida, chegando um daqui, voltando um de lá, e enquanto isso quem tu pensava que nunca deixaria de ser tão próximo se torna um desconhecido! É estranho como uma pessoa que você conversa em um semestre no outro já nem olha no teu rosto.

Pra que complicar as coisas? As outras coisas já são tão complicadas… Não vejo necessidade de ficar com paranoias bobas em relação outras pessoas, até mesmo ficar pensando muito se fala ou não com alguma pessoa. Cara, se joga! Se der errado tudo bem, tenta de outro jeito, sem receio de ser zoado pelos amigos ou de desapontar alguém! Você tem que viver e fazer as coisas para se sentir bem, e ser uma pessoa de bem.

As vezes tenho medo de me relacionar com pessoas novas e me decepcionar, mas se eu nunca fizer nada como eu vou saber que isso realmente irá acontecer?! A parada é não colocar suas expectativas em cima da outra pessoa, se liga.. Ninguém tem a obrigação de te fazer se sentir bem consigo mesmo, essa função é tua..

É comum se sentir só, sozinho.. Pelo menos comigo é comum! Afinal, realmente estamos. Sozinhos, todos atrás de suas próprias felicidades, empregos, casas, carros, e tudo aquilo que julgam importante. Então avante meu amor! Está esperando oque para ser feliz?! *-*

 

Pois bem, tentei falar um pouco da minha opinião de um momento em que me encontro.. E creio que muuuita gente também (risos), até porque isso é a coisa mais comum.. Deixem a opinião, sugestões e perguntas de vocês ai nos comentários! =DDD 

 

Daí me apaixonei.

  ”   Pra ser sincera eu realmente era uma menina comum, como todas as outras. Com amigos, e essas coisas que todas garotas prezam e acham super importante.. Até que em dia que estava meio nublado, eu sai com alguns colegas e conheci um menino lindo, com os olhos verdes, bobo, e que toda hora me fazia rir com as idiotices que dizia… E neste mesmo dia insistiram pra ele ficar com uma das minhas melhores amigas, e ela disse :”- Ah gente, eu nem conheço ele..”

E ele apenas concordou com o que ela disse. Eles começaram a conversar por skype e facebook e todas as outras pessoas apoiando, até que ele disse que estava gostando dela(não que esse sentimento tenha sido recíproco), eles ficaram juntos com esse vulgo relacionamento por um mês mais ou menos. E foi para a minha escola e dela por ter reprovado na antiga escola que ele estudava, e assim o tempo foi passando. Até ela terminar com ele com algumas desculpas.

       Eu nunca tinha gostado, ou me apaixonado por alguém então por este motivo não sabia como era. Quanto mais eu via minhas amigas falando sobre estar apaixonada eu queria fugir e esconder o que eu sentia por ele, eu não queria estar apaixonada, ainda mais por ele.. Era furada, de certa! 

      Assim que eles terminaram ele pediu pra ficar comigo, e eu não aceitei.. E começamos a conversar na escola, no whatsapp e facebook, eu fui cada vez mais me aproximando dele e consequentemente fui me apegando, viramos amigos e eu percebi que estava naufragando, não literalmente naufragando, mas sabia que já era mais uma a ser atingida, e por um segundo vi aquela mesma menina do famoso coração de pedra virando cinzas.

    Continuei sendo a mesma menina que sempre fui, e ele foi sendo mais carinhoso, e se preocupando mais comigo.. A sala toda já sabia que entre nós tinha algo, nos entre-olhávamos e pro meu ainda maior azar ele sentava atrás de mim (de acordo com o mapa de sala que minha escola faz todo o ano), eu já tinha pirado e me acontece que em um sorteio para um trabalho em grupo eu sai no mesmo grupo que o dele(eu era a única menina do grupo), ele foi o único que realmente me ajudou a fazer o trabalho e ficava todo tempo me perguntando sobre o trabalho. No dia que fomos apresentar o trabalho ele me pediu em namoro e disse que não estava aguentando mais esperar. Para minha felicidade, ou infelicidade, não sei ao certo.. Ele disse isso pelo facebook e quem respondeu foi a minha colega, que digitou : “siim *-*”… E eu nem imaginei o que me esperava depois disso tudo.

     Nosso primeiro beijo foi no dia 24 de outubro, num dia normal de aula que ele foi me levar em casa.. A partir disso aconteceu tanta coisa ruim mas que eu nem ligava pelo simples fato dele estar me apoiando e continuar comigo. Tanta gente me criticou que até perdi a conta, mas eu não estava nem aí, eu amava ele! Muita gente mesmo tentou nos separar e bom, depois de 4 meses ele estava em um grupo que os meninos ficavam brincando com as outras meninas, e ele não ficou de fora.. Ficou chamou a menina de amor e outras coisas bem desnecessárias, quando me mostraram isso eu entrei em crise, nunca chorei tanto quanto esse dia.. Parecia que tinha sido traída, doía muuuuito e mesmo assim eu ainda amava ele. Brigamos muito nesse dia, e resolvemos dar um tempo.. No dia seguinte ele me mandou uma mensagem dizendo: ” Eu te amo, e me dei conta de que não sei viver sem você, não quero ficar longe de você”. E eu, claro.. Chorei ainda mais, mas.. Resolvi ignorar, e não responder mais ele. Não sei se essa foi a melhor opção.. Eu ainda gosto dele, mas.. Quem sabe, um dia possamos nos reencontrar como dois namoradinhos que estão felizes por estarem com quem amam, isso sim seria felicidade verdadeira!”

              

Escrito por: Bruna Mutz

Espero do fundo do meu coração que vocês gostem, até porque eu não sou muito boa em tentar relatar fatos por forma de crônicas e escrevi esse texto pra desabafar e tirar um pouco dessa dor que eu estou sentindo, e digam o opinião de vocês, beijinhos ;*    

Imagem